Estamos migrando o conteúdo dos antigos sites da Prefeitura. Se não encontrar o que está procurando, CLIQUE AQUI e acesse o site antigo.

VOLTAR para o site antigo.

BETA i

Governo e Administração

Operação flagra 154 comércios funcionando irregularmente em Goiânia

Envolvendo órgãos de segurança e fiscalização municipal e estadual, a operação conta com a participação de cerca de 80 auditores fiscais, guardas civis, policiais militares e bombeiros militares

Publicado em: 26 de março de 2020 às 11:42 | última atualização: 26 de março de 2020 às 11:42

No primeiro dia da Operação Fecha Tudo realizada pela Prefeitura de Goiânia em parceria com o Governo de Goiás para monitorar o cumprimento do decreto estadual que determina o fechamento do comércio em virtude da pandemia do Coronavírus (Covid-19), as equipes de fiscalização encontraram cerca de 150 estabelecimentos funcionando irregularmente na região sudoeste da capital, escolhida para iniciar a operação devido ao alto índice de denúncias recebidas pelo Centro de Operações Municipais (Copom). 

Além de estabelecimentos que estavam funcionando normalmente na região, as equipes de fiscalização também constataram que alguns estavam com as portas entreabertas, mas atendendo normalmente aos clientes. “Muitos estabelecimentos estão buscando meios para burlar a fiscalização e continuar a atender aos clientes mesmo com a proibição. O intuito dessa fiscalização, num primeiro momento, é orientar esses comércios para a irregularidade que estão cometendo e que, caso teimem em descumprir a determinação, poderão ser autuados e até mesmo interditados”, afirma Luiz Lucas Alves Júnior, Diretor de Fiscalização da Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação.

Dos 150 locais visitados nesta quarta-feira, 24/3, 57 estabelecimentos foram notificados, um foi autuado por instalar equipamento (quiosque) para venda de produtos em área pública municipal sem a devida autorização do município, e um auto de apreensão foi expedido para ambulante, que além de estar descumprindo o decreto, não tem autorização da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Ciência e Tecnologia (Sedetec) para exercer a atividade.

A operação terá continuidade nesta quinta-feira, 26/3, dessa vez nas outras regiões da capital, tendo como foco as denúncias recebidas por meio do aplicativo “Prefeitura 24 horas”, da Prefeitura de Goiânia, do serviço de Ouvidoria do Governo de Goiás - www.cge.go.gov.br/ouvidoria/ - e do Copom, por meio do telefone 190.

William Assunção, a editoria de Planejamento Urbano e Habitação