Estamos migrando o conteúdo dos antigos sites da Prefeitura. Se não encontrar o que está procurando, CLIQUE AQUI e acesse o site antigo.

VOLTAR para o site antigo.

BETA i

Infraestrutura

Concluído primeiro trecho da rede de drenagem na Goiás

Nesta terça-feira (24/9), os secretários de Infraestrutura e de Trânsito concedem entrevista coletiva às 8h30, no cruzamento da Goiás com Paranaíba para anunciar a segunda etapa das obras e as alterações no trânsito que começam na quarta-feira (25/9)

Publicado em: 23 de setembro de 2019 às 17:21 | última atualização: 23 de setembro de 2019 às 17:21

Após 74 dias, o primeiro trecho das obras de drenagem e do corredor do BRT Norte-Sul, na Avenida Goiás, está concluído e nesta terça-feira (24/9), os secretários de Infraestrutura e de Trânsito concedem entrevista coletiva às 8h30, no cruzamento da Goiás com Paranaíba para anunciar a segunda etapa das obras e as alterações no trânsito que começam na quarta-feira (25/9).

Com a rede de drenagem, cuja extensão total é de 2,6 km, entre a Praça Cívica e a Rua 4, no Setor Norte Ferroviário, a Prefeitura soluciona o problema de alagamentos e enchentes nesta região central de Goiânia.

O prazo para conclusão da obra, no sentido Norte-Sul, é dezembro deste ano e em toda a rede na contramão da Avenida Goiás é agosto de 2020.

Na segunda etapa, o método executivo será mudado para aumentar a produtividade dos serviços e ganhar no processo de execução. Primeiro será feito o rebaixo da pista, em seguida o subleito (é uma etapa da terraplanagem) e com o subleito pronto, será executado o serviço de drenagem. Só então entrará na etapa de pavimentação.

De acordo com o secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Dolzonan da Cunha Mattos, o ritmo das obras está seguindo o cronograma, mas a mudança na estratégia para o próximo trecho possibilitará melhor aproveitamento na parte de execução, tendo em vista ainda o período chuvoso. “Prevíamos de dois a três meses para entrega desse primeiro trecho e estamos entregando com 75 dias, com a mudança na estratégia de execução, ganharemos em produtividade e, tendo vista também o início do período chuvoso, será importante para cumprirmos o prazo de terminar essa pista no sentido Norte-Sul, no próximo mês de dezembro”, analisa.

Trânsito

No trecho entre a Avenida Paranaíba e Avenida Anhanguera, no sentido Norte-Sul, o trânsito será interditado e apenas o acesso local será permitido, garantindo, assim, o acesso aos estabelecimentos comerciais e residenciais. Já o cruzamento da Avenida Goiás com a Paranaíba será totalmente bloqueado para trânsito.

Foram implantados desvios na região, sob a supervisão da SMT, para garantir a mobilidade com segurança. O motorista que circula na Avenida Goiás sentido Norte-Sul acessa o desvio na Rua 61 e segue pela Rua 74 até a Avenida Paranaíba; continua na Paranaíba até a Avenida Tocantins, vira na Rua 3 e retoma a Avenida Goiás.

O motorista que pretende seguir nos sentidos Leste-Oeste e vice-versa pela Avenida Paranaíba terá que evitar o cruzamento com a Goiás. O desvio implantado no sentido Oeste-Leste contorna o Mercado Aberto, acessa a Rua 72, vira na Rua 55 e segue nela até a Rua 68, de onde retoma a Paranaíba. No sentido contrário, o motorista deve acessar o desvio pela Goiás e seguir o mesmo trajeto: Rua 61; Rua 74 e retoma a Paranaíba.

Requalificação

Além da rede de drenagem e da pista do BRT, as obras contemplam ainda a revitalização de toda a via, com substituição da iluminação por lâmpadas Led; sinalização horizontal, vertical e semafórica, com semáforos inteligentes; e calçadas acessíveis e arborizadas.

Rede de drenagem

A rede de drenagem completa vai da Praça Cívica ao Setor Norte Ferroviário. Os trabalhos de construção tiveram início em março e, por ser o trecho mais complexo, começaram pela Rua 4, no Setor Norte Ferroviário, onde se dará o lançamento no Capim Puba, de lá passará pela Avenida Oeste, no Setor Marechal Rondon, onde já foi concluída também, seguirá em frente a Câmara Municipal e subirá a Avenida Goiás, cruzará a Avenida Independência e chegará até a Praça Cívica.

O projeto da rede é audacioso, com utilização de tubulação em Ribiloc (PVC), de 500 mm de diâmetro, na Praça Cívica (início), e de 1.600 mm de diâmetro (1,60 m), no Capim Puba, onde será o lançamento. A capacidade de vazão é de 10 mil litros de água por segundo.

O orçamento para a execução das obras nesse trecho da Goiás até a Praça Cívica é de R$ 40.575 milhões, sendo: Drenagem: R$ 7.775 milhões, Pavimento Rígido: R$ 17.194 milhões Pavimento Flexível: R$ 3.468 milhões, Obras complementares: R$ 10.178 milhões e Estações: R$ 1.960 milhões.   

Veja os desvios


Nara Serra, da editoria de Infraestrutura