Estamos migrando o conteúdo dos antigos sites da Prefeitura. Se não encontrar o que está procurando, CLIQUE AQUI e acesse o site antigo.

VOLTAR para o site antigo.

BETA i

Mulher

Secretaria da Mulher realizou 4 mil atendimentos em 2019

Mulheres tiveram assistência psicológica, social e jurídica. Secretaria promoveu também rodas de conversas, cursos de capacitação, entre outros

Publicado em: 30 de dezembro de 2019 às 15:00 | última atualização: 19 de dezembro de 2019 às 13:37

Balanço divulgado pela Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres de Goiânia (SMPM) aponta que, entre frentes de serviços e mutirões realizados pela Prefeitura de Goiânia, além de programas desenvolvidos pela secretaria, mais de 4 mil atendimentos foram prestados às mulheres goianienses no ano de 2019. As informações têm o objetivo de prestar contas à população sobre as atividades realizadas pela secretaria.

Na casa abrigo Sempre Viva, serviço de acolhimento institucional para mulheres vítimas de violência doméstica ou nas relações íntimas de afeto com o risco de morte, bem como de seus dependentes, foram feitos 30 abrigamentos de mulheres, sendo duas gestantes e 20 dependentes. Além disso, foram feitos 52 acompanhamentos na área da saúde, 12 acompanhamentos na área da educação, 5 encaminhamentos para curso de qualificação profissional, 11 serviços para obtenção de documentação e 3 passagens de retorno as suas cidades de origem.

Foram realizados ainda, com as abrigadas, 130 encontros para terapia ocupacional, entre as quais: artesanato, rodas de conversa, culinária, dia da beleza, colagem, ateliê e leitura. A equipe interdisciplinar ainda faz o acompanhamento de 28 mulheres que já adquiriram autonomia emocional e financeira e já foram desligadas da casa abrigo.

Já no Centro de Referência de Atendimento à Mulher Cora Coralina, serviço que oferta o acolhimento e acompanhamento interdisciplinar (social, psicológico e de orientação jurídica) às mulheres em situação de violência de gênero, foram atendidas 59 mulheres em situação de vulnerabilidade social.

Palestras
Como meio de divulgar e orientar o combate a violência contra a mulher, a equipe do Centro de Referência Cora Coralina proferiu 5 palestras em  instituições onde 216 participantes puderam ter acesso a informações sobre o tema.

Também foram feitas três Rodas de Conversas para mulheres nos Jardins do Cerrado VII, III e I com temas sobre Saúde da Mulher, Violência Doméstica e Familiar e Reciclagem, onde participaram 134 mulheres em situação de vulnerabilidade e/ou risco social.

Com o objetivo de incentivar o empreendedorismo das mulheres e a autonomia econômica, o órgão disponibilizou cursos de qualificação profissional. Em 2019, por meio do convênio “Mulher, Trabalho e Cidadania” com o Governo Federal em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), foram oferecidos os seguintes cursos: Assentamento de Cerâmica, Panificação, Modelagem Industrial para Jeans, Corte de Tecidos para Confecção de Roupas e Costura industrial.

A secretaria também firmou parceria com o Instituto Federal de Goiás para capacitação técnica na área de cozinha com o projeto Saberes e Sabores. O projeto de empregabilidade para o curso de profissionalização de pedreira /pintora em parceira com o Ministério Público do Trabalho de Goiás. Ao todo foram capacitadas 450 mulheres.

Neste ano, a Prefeitura de Goiânia assinou convênio com a Secretaria Cidadã para ampliar os grupos reflexivos no município para autores de violência doméstica e ou/familiar.  Ao todo foram atendidos 29 homens em sessões coletivas realizadas no Centro de Referência da Mulher Cora Coralina na sede da Secretaria da Mulher.  As sessões contam com ajuda psicológica em um processo de ressocialização. Os autores são encaminhados de forma compulsória pelos juízes dos respectivos processos julgados com base na Lei Maria da Penha. Os autores dos crimes incursos na Lei Maria da Penha são obrigados a participar das reuniões, como uma das medidas que condicionam suas liberdades. 

Mutirões
Já entre frentes de serviços e mutirões realizados pela Prefeitura de Goiânia, foram atingidas 2.715 mil mulheres em situação de vulnerabilidade social, com a orientação dos serviços oferecidos pela Secretaria da Mulher, entre atendimentos psicossociais e jurídicos, além de oferecer no local, a promoção da auto-estima e oficinas de confeitaria pelas unidades móveis do Senai.

Segundo a secretária da Mulher, Ana Carolina Almeida, a equipe da pasta está atuando fortemente com o objetivo de criar, promover e articular políticas para reduzir as desigualdades e as discriminações na política de gênero.

Entre os projetos realizados em 2019, consta a Frente de Serviços Especial Mulher, intitulada “Dia Delas”, que beneficiou mais de mil mulheres no Jardins do Cerrado, nas áreas de saúde, beleza, inscrições para cursos profissionais, entre outros.

No dia 30 de agosto, foi realizado o Seminário 13 anos da Lei Maria da Penha em parceria com a Rede de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, que contou com mais de 300 espectadores no auditório do Ministério Público de Goiás. Em agosto e setembro, foi realizado o projeto Mulheres por Direitos, com o objetivo de dar visibilidade às mulheres com deficiência, com oficinas de direitos e exposição de fotos, com um total de 149 pessoas atingidas.

Em outubro, a Secretaria da Mulher em parceria com o Goiás Esporte Clube realizou uma ação de conscientização, prevenção e combate ao câncer de mama, em alusão ao Outubro Rosa. Com o objetivo de valorizar a vida da mulher na comunidade em que vive, o projeto Por Elas foi realizado nos setores Madre Germana II e Residencial Buena Vista com a participação de 65 mulheres em situação de vulnerabilidade social e contou com o apoio do Google, do Instituto Rede Mulher Empreendedora, Defensoria Pública de Goiás  e Mulher Mais Segura. Para dar visibilidade a Campanha 21 Dias de Ativismo Contra a Violência à Mulher, a pasta realizou em novembro, a Caminhada pela Paz que reuniu cerca de 600 pessoas, entre homens, mulheres e crianças.

Para 2020, a Secretaria da Mulher tem como objetivo ampliar o trabalho com mulheres que tiveram seus direitos violados como idosas, mulheres traficadas e violentadas sexualmente. Ainda consta como intenções da pasta a realização de projetos que garantam a prevenção e enfrentamento à violência, o fortalecimento dos serviços já prestados pela secretaria, além de cursos de qualificação  profissional para a geração de renda para as mulheres  como forma de prevenção e quebra do ciclo de violência.

Roberta Amorelli, da Secretaria da Mulher